terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Jantar de Natal.

Como as imagens mostram, o jantar de Natal foi um sucesso, apesar de os actuais formadores não nos terem dado o prazer da sua presença.
Só fizeram realmente falta, aqueles que lá estavam...
A todos os participantes, obrigado...
Que para o ano, possamos estar todos juntos novamente.

J. Cândido


video

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Jantar de Natal

Estimados participantes, o horario de encontro para o jantar de Natal está previsto para as 20H, junto á escola de Arnoso.
O restaurante escolhido é o " O Meu Restaurante" em Outiz.
Qualquer assunto é favor entrar em contacto com nós.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Jantar de Natal

Jantar de Natal

Convite:

Natal, época de amigos se encontrarem e juntarem para confraternização.

Assim sendo, como se está a aproximar a época Natalina, chegou a altura dos alunos, ex alunos, formadores e ex formadores do curso efa ns e ultimo BIII, se reunirem para o jantar de Natal.

Como somos tradicionais e gostamos das tradições, vamos levar a evento mais um Jantar de Natal no proximo dia 18/12/2009 em restaurante a designar oportunamente. Até que sirva ao menos para pôr a conversa em dia!

Quem estiver interessado em participar no evento, por favor colocar comentario com o nome.

Sozinhos já somos muitos, mas muitos somos uma familia de amigos.

J. Cândido

A verdadeira História do Pai Natal

A verdadeira História do Pai Natal



O Pai Natal tem vários nomes dependo do país e cultura, mas independentemente do nome que ele recebe, trata-se sempre de S. Nicolau, um senhor muito simpático e generoso, que nasceu no ano de 350 d.C., em Patara. Depois de viajar por muitos sítios, S. Nicolau decidiu ir viver em Mira, onde anos mais tarde tornou-se bispo da Igreja Católica. Muitos milagres lhe são atribuídos e grande parte destes relacionam-se com a doação de presentes. Ele, hoje, ainda é vivo já que a sua Fonte de Vida é a crença das pessoas na sua existência, quando ninguém mais acreditar no Pai Natal é quando ele morre!

Actualmente ninguém sabe ao certo onde é que o Pai Natal vive, uns dizem que é na Noruega, outros dizem que é na Finlândia e ainda outros dizem que ele vive no Pólo Norte. A verdade é que o Pai Natal não quer que ninguém saiba onde é que ele mora, para conseguir trabalhar sem ser incomodado, pois o seu trabalho não se resume a distribuir os presentes na noite de Natal, é também necessário fazer os presentes, saber o que cada criança pediu e o que cada uma realmente merece.

O Pai Natal tem uma lista, que actualmente já é computorizada, de todas as crianças do mundo. O Pai Natal e os seus ajudantes, os duendes, através dessa lista sabem onde é que cada criança mora e assim podem observar o seu comportamento ao longo do ano.

Para conseguir entregar todos os presentes numa só noite, o Pai Natal tem de usar a sua magia, tanto o seu trenó como as suas renas são mágicas. As renas do Pai Natal são nove: Dasher, Dancer, Prancer, Vixen, Comet, Cupid, Donder, Blitze e Rodolfo. A rena que lidera o trenó é o Rodolfo, já que este tem um nariz brilhante que ilumina todo o caminho.

Para mandar a tua carta ao Pai Natal podes utilizar 3 métodos diferentes:
• Enviar pelo correio:
• Enviar um e-mail pela Internet;
• Simplesmente deixar a tua carta no presépio de tua casa (o Pai Natal ou um dos seus ajudantes vai lá busca-la).
Independentemente do método que escolheres deves sempre dizer aos teus pais quais são os presentes que queres, porque às vezes os ajudantes do Pai Natal são desorganizados e perdem as cartas. Quando isso acontece, o Pai Natal manda um dos seus ajudantes ir perguntar aos teus pais o que é que tu pediste.

Por vezes os meninos recebem presentes que não corresponde ao que pediram, isso acontece por vários motivos:
• Não te portastes bem e o Pai Natal acha que tu não mereces o que pediste;
• A tua lista é muito grande e o Pai Natal não te pode dar tudo o que pediste, pois ele também tem de dar presentes aos outros meninos;
• O Pai Natal não dá presentes que os teus pais não te dariam (exemplo: brinquedos perigosos).

Quando o Natal acaba, o Pai Natal vai de férias com a Mãe Natal, afinal ele trabalhou muito e tem de recuperar as suas forças para no próximo ano voltar a preparar tudo para que o Natal seja um sucesso.


Fonte: http://natalnatal.no.sapo.pt/pag_simbolos/verdadeiro_painatal.htm

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Opinião.

Não, não gostei!!!
Esta é simplesmente a minha opinião, vale o que vale, ou seja nada, de nada valerá expor o meu ponto de vista pois o que passou, passou,.
-no entanto e como estamos num país livre “ou não” deixo aqui o meu descontentamento “ou será lamento” por uma situação que não se me afigura correcta.
Uma visita de estudo deve a meu entender ter um contexto bem definido, fiquei com uma leve impressão que não foi bem assim, os formadores devem acompanhar os seus formandos para tentar na medida do possível esclarecer uma ou outra dúvida mais impertinente, não vi o filme com este guião, bem sei que me atrasei um pouco sou menos esclarecido que o resto dos feirantes mas…
- Como nem todo foi mau, tenho no entanto algo a agradecer, na visita que pretendo realizar ao visionário pelo menos agora sei minimamente o que vou encontrar, nem tudo foi mau.
-A lição de história a que tivemos direito serviu para me relembrar que afinal nós portugueses descobrimos rotas marítimas, o que é bem diferente de descobrir novas terras pois estas já eram na sua maioria habitadas, “novas rotas marítimas ao mundo assim é que é.”

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Sondagem.

Apresentamos aqui os resultados da sondagem efectuada.

Devemos continuar a frequentar o curso EFANS, com as actuais condições?

Não, já ontem era tarde. 11 (64%)
Sim, vamos dar mais uma oportunidade. 3 (17%)
Sim, está muito ao meu agrado. 2 (11%)
Não sei, não respondo 1 (5%)

domingo, 15 de novembro de 2009

Estabilidade!!!!!!

Para haver conformidade num qualquer grupo seja este de trabalho, desportivo ou de puro lazer é preciso que várias regras sejam cumpridas.
Há no entanto duas que são elementares:
1ª É imprescindível uma forte ligação entre o grupo, um inequívoco sentido de entreajuda, convém que todos remem para o mesmo lado, caso contrário não será nunca possível alcançar bom porto.
Numa vinha antes vindima propriamente dita è preciso retirar os cachos que apresentam vagos podres, isto para que o vinho não venha a ter uma qualidade pouco aceitável, quando se colhe os frutos de um qualquer pomar, deve haver o máximo cuidado e retirar os que estão tocados com podridão mesmo que esta seja muito leve, se não houver este cuidado básico todo o armazém em breve estará infectado.
Em qualquer clube de um qualquer desporto colectivo, basta um elemento estar contra o seu treinador para que em breve consiga destabilizar o grupo seja qual for a razão, é muito fácil juntar outros elementos para o seu lado, podem ser muito variadas as razões, o banco de suplentes, faltas sem a devida autorização os horários rígidos… Qualquer coisa serve. O resto do grupo tem que ficar bem mais unido quando estes problemas acontecem caso contrário é a equipe que fica em causa, sendo muito rápida a sua destabilização.
2ª Para atenuar o ponto anterior é preciso que os capatazes da tal vinha ou pomar estejam atentos, tal qual os treinadores das ditas equipas, estes mais pois têm que demonstrar uma união inequívoca entre o grupo de trabalho, para não deixar transparecer nenhum mal entendido, devem ser estes os primeiros a chegar ao local de treino e os últimos a abandonar o mesmo, claro colaborar nos tempos vagos em prol de outro qualquer departamento, nem que este seja orientado por outro treinador.
É verdade que os títulos são conquistados em campo pelos jogadores, mas não são estes os mais bem pagos e (há sempre os árbitros), quando a equipe não se encontra bem quem fica causa são sempre os treinadores, são sem duvida estes os primeiros visados nem que seja só pelos elementos mais importantes “o publico”.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Novas Tecnologias.

O choque tecnologico chegou finalmente ao agrupamento de escolas do Vale do Este.
Qual o meu espanto quando no inicio do ano lectivo em curso, nos deparamos com novos computadores de (só) apecto agradavel, com minitores TFT e nova rede de distribuição de internet onde foram usados material de 1ª escolha. Ou seja fibra optica até aos servidores e cabos utp CAT6 dos servidores para os diversos postos de trabalho (gostaria muito de ver o orçamento e custos para esses trabalhos).
Pensei eu (cabecinha pensadora) que finalmente vamos ter internet a sério...
Mas deveria era estar a sonhar... Como é possivel que com meia duzia de "gatos pingados" a rede fica intratavel ao ponto de apetecer gastar os creditos que tenho da minha net pessoal. Imagino o que será durante o dia com as salas cheias de alunos, professores e o pessoal secretariado todos conectados a esta lentidão, as vezes concordo que dará jeito, pois enquanto não se tem acesso, sempre dá para por a conversa em dia e também passar mais um bocado de tempo, embora nem todos tenham esse feitio.
Pergunto eu para quê avultado investimento?
Na minha modesta opinião tinhamos (ano passado) nesse campo bem melhores condições.
Foi me explicado, que a culpa é do provedor do serviço...
Será que quem contratou o serviço, não quererá comprar um Ferrari ( dos novos e bem verdadeiro) e ao levantar (depois de efectuar o pagamento), o dito topo de gama no Stand com pompa e circuntancia e se deparar com um velhinho Fiat 127 (que afinal de contas pertence ao mesmo grupo)não irá essa pessoa reclamar? Ou se irá calar e dar meia volta todo contente...
Acho (pelo menos foi o que me ensinaram) que quem de seu direito pode e deve reclamar, não vamos também reclamar por tudo e por nada, mas que neste caso merece.
Para concluir até nisso AI QUE SAUDADES DO PASSADO!
E vivam as novas tecnologias!!! 120 Mgb/s

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Escola.


Local de trabalho para uns, local de aprendizagem para outros, um local para passar tempos mortos para um pequeno nicho.
Nem toda a população encara a Escola da mesma maneira, os miúdos vêm este espaço como uma prisão na maioria das vezes, a motivação nem sempre está nos níveis indispensáveis para que haja o mínimo de produtividade, nós pais não temos cultura, e preparação suficientes para lhes incutirmos essa motivação, alguns professores por seu lado também vêm isto como um emprego vulgar e claro passam ao lado de vários aspectos indispensáveis para o ensino.
Todos sabemos que este País tem uma tacha muito baixa de cultura, por muito que nós pais nos esforcemos não vamos ser capazes de melhorar a situação, terá que ser a escola a orientar os nossos adolescentes, para que não se perca mais uma geração, que amanhã não sejam precisos mais cursos “efas” nem algo parecido.
É no entanto sobre estes cursos que tenho vindo a reflectir, todos sabemos que existem directivas que são elementares e será necessário cumprir as mesmas, no entanto eu pergunto? Será este o melhor caminho, não foram as leis feitas para serem torneadas, cada cabeça sua sentença, afirma o povo e muito bem, caso contrário para que serviam os advogados, se as leis fossem rígidas porque motivo hesitem várias instâncias nos tribunais, a interpretação deve ser feita por cada um, logicamente com bom senso mas não me parece que um qualquer canudo resolva algo “ao Sr. Joaquim ou a outro personagem qualquer dentro de uma qualquer empresa seja ela certificada ou não”.
Quando era ainda miúdo o povo afirmava “UM BURRO CARREGADO DE LIVROS É UM DOUTOR” espero que esse povo não estivesse carregado de razão, espero que não percamos tempo à procura de um canudo e, quando finalmente ao fim de muitas horas o encontrarmos não esteja este despido de conteúdo.

Palestra sobre a Globalização.


Fundação Bracara Augusta promove discussão sobre Globalização
“O espírito do capitalismo e os direitos da pessoa” e “Novos desafios de cidadania na sociedade moderna” são os temas escolhidos para o ciclo anual de conferências sobre a globalização, organizado pela Fundação Bracara Augusta. O evento terá lugar na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, e começa já no próximo dia 30 de Outubro.

A primeira conferência, agendada para 30 de Outubro, visa promover a reflexão sobre o capitalismo e as razões para a crise deste modelo. De acordo com a organização, a iniciativa procurará discutir os problemas sociais gerados pelo capitalismo, como as grandes disparidades sociais, a concentração de riqueza e os desequilíbrios de poder em diferentes países.

A segunda e última conferência, marcada para dia 6 de Novembro, às 21h30, irá debruçar-se sobre a democracia moderna, período temporal que abrange os séculos XIX, XX e XXI. Com a moderação da professora Isabel Estrada Carvalhais, da Escola de Gestão da Universidade do Minho, e com a participação de Marina Costa Lobo, investigadora e politóloga do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, analisar-se-á o modo como a actual crise económica, e consequente necessidade da regulação dos mercados, afectou o significado da democracia e das instituições democráticas.

A Fundação Bracara Augusta existe desde 1996, criada pela Câmara Municipal de Braga, pela Universidade do Minho, pela Universidade Católica Portuguesa e pelo Cabido Metropolitano e Primacial de Braga. A instituição tem como objectivo, entre outros, estimular uma dinâmica de reflexão e de debate, mediante a organização anual de um ciclo de conferências sobre temas actuais, de interesse para os cidadãos.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

EU QUERO!!!!

Eu quero.
Eu quero tirar partido deste tempo que disponibilizo religiosamente, todos os dias úteis.
Não estou disposto a passar por esta vida sem deixar a minha marca bem vincada, não estou disposto a ser apenas mais um, no meio da multidão.
Esta história das novas oportunidades está a ser um pouco uma farsa, não porque não esteja a ser comprido o estipulado, mas porque todo isto está longe do que eu imaginava.
Eu quero compreender os nossos autores, algo que não sou minimamente capaz.
Eu quero perceber o que dizem as entrelinhas de José Saramago “em jangada de pedra ou ensaio sobre a cegueira,”perceber o que querem dizer todos os “ses” de Mário Zambujal, perceber as informações camufladas nas letras de Sérgio Godinho, Pedro Barroso, José Mário Branco…
Eu quero, perceber a agonia da “grande” Flor Bela Espanca e, a revolta do carismático Zéca Afonso.
Quero ser capaz de perceber os “Lusíadas”e ou as artimanhas de Camilo Castelo Branco, eu quero entender as mensagens do Bocage, ou os códigos do Eça, eu quero tanta coisa, e não entendo quase nada do que leio, quando não desisto a décima página levo uma eternidade para decifrar o conteúdo da escrita dos nossos autores.
Novas oportunidades “uma ova” isto não são oportunidades, isto não passa de rebuscar nas nossas vidas já de si tão dramáticas e deploráveis, eu quero uma nova oportunidade, para não passar ao lado de tudo o que os nossos antepassados fizeram de bom pela cultura Portuguesa, quero perceber os seus dramas o porquê das suas angustias e raiva, quero sozinho um dia perceber o que quis dizer Álvaro Cunhal com o seu “até amanha camaradas”.
Se não for pedir muito eu quero realmente “novas oportunidades”
Eu quero ser capaz de perceber o nosso povo os nossos políticos os nossos religiosos… sem pedir ajuda a quem quer que seja.

SA B.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

A Nossa visita de Estudo
(para visualizarem CLIQUEM NO LINK ACIMA)
Agradecimento
Olá a todos, sejam bem vindos ao blog da turma EFANS de Arnoso Santa Maria, espero que este blog seja do vosso agrado e que todos possam colocar os seus assuntos de interesse. Iremos fazer uma gestão coerente do blog com a colaboração de todos durante todo este tempo (isto é se não desistirmos todos em bloco brevemente :))